sábado, 21 de fevereiro de 2015

A crise da água e os valores que escolhemos para a nossa vida


Ao pensar na crise da água ocorrida em São Paulo, me vem as constantes afirmações divulgadas nas diferentes mídias, as quais predominam a procura de culpados e de terceirização de responsabilidades. Imagino que tal situação vem da dificuldade de uma grande parte das pessoas, sejam elas físicas ou jurídicas, de se habituar a fazer restrições no seu dia a dia para se economizar algo que sempre se teve em abundância.

Práticas essas que é inconcebível perceber que ainda há muita gente que se recusa a uma economia por não se sentir responsável. É compreensível a dificuldade para se mudar hábitos tão arraigados, mas a prática nos coloca no caminho que deve ser seguido.

O que não pode ocorrer é a confusão de que se eu estou usando baldes e galões para coletar água da máquina de lavar, da chuva ou do banho para reutilizá-la em algumas tarefas domésticas, estou tirando das costas do poder público a responsabilidade que lhe cabe. Não, apenas estou colocando cada coisa no seu lugar, cada um com sua responsabilidade. 

Enquanto cidadã preciso reivindicar ações concretas do governo, que pensem num contexto amplo e que não sejam imediatistas. Como? Através de sugestões, através da participação mais ativa em espaços oferecidos para a participação da comunidade como por exemplo a Rede Nossa São Paulo (http://www.nossasaopaulo.org.br/), conhecendo pessoas que almejam posições no contexto político e saber o que pensam e como agem a respeito e possam merecer a minha confiança para que eu vote ou mesmo faça campanha para eles como por exemplo Alexandre Schneider (https://www.facebook.com/profile.php?id=100004959846781&fref=tl_fr_box&pnref=lhc.friends), Gilberto Natalini (https://www.facebook.com/gilberto.natalini?fref=ts), Eduardo Jorge (https://www.facebook.com/eduardo.jorge.777363?fref=ts) ou Ricardo Young
(https://www.facebook.com/ricardoyoungvereador?fref=ts).

E enquanto ser humano não posso me eximir de fazer a minha parte como dona de casa, como mãe e como professora de participar de ações dentro da Educação que colaborem para o nosso presente no planeta.

*Caso queira comentar sobre o texto de maneira mais fechada, mande um email, por favor.
solangegracasseno@gmail.com