domingo, 5 de janeiro de 2014

Gilberto, um anjo guardião


"Nossos destinos foram traçados na maternidade"

A música de Cazuza sempre vem em minha mente quando penso na construção da minha história com o Gilberto, meu amor, meu marido, meu cúmplice, meu melhor amigo, meu anjo... E por falar em destino e anjo, me vem a maneira como nos conhecemos, a nossa trajetória. E assim fico misturando fantasia com realidade e imagino como tudo começou antes de nascermos na mesma maternidade. Provavelmente tenha sido assim:
Em meio às nuvens um lindo anjo guardião se apaixonou por um espírito que precisava voltar à Terra, pois ainda não tinha aprendido o suficiente durante o período que lá permaneceu. O anjo, como bom guardião,  e com muito amor e paciência tentava aconselhar sobre suas atitudes e como deveria ser a sua missão para que um dia pudessem se encontrar novamente. O medo de errar e passar para um lugar desconhecido e cheio de desafios fez com que o espírito exitasse, mas seu conselheiro procurava encorajá-lo.
E o dia chegou em que deveria ir para a Terra. Família escolhida e uma listinha de tarefas um tanto complicadas. Um túnel longo e escuro levava um ser que agora tornava-se uma menina, no dia 29 de abril de 1966.
Ainda presa às lembranças da companhia daquele anjo maravilhoso, arrependia-se de estar ali e tentava voltar. Ela e sua mãe ficaram internada durante algum tempo no hospital devido a problemas de saúde. As freiras que  ali trabalhavam batizaram-na de Dulce, pois acreditavam que se morresse não poderia ser pagã. 
O anjo guardião via tudo de lá de cima e aconselhava a ficar, pois tinha muito o que fazer. Assim, a menina atendeu ao seu pedido, mas pediu-lhe para que viesse ficar com ela. Ele disse que não podia. mas seu amor era tão forte que começou a ponderar sobre essa possibilidade. Enquanto isso, o pai da menina, não respeitando a iniciativa das freiras, registrou a criança pelo nome de Solange, pois era o nome que a mãe  dela queria.
O anjo pediu ao bom Deus para que permitisse sua ida à Terra, pedido concedido um ano e nove meses depois. No dia 5 de janeiro de 1968 nasce o Gilberto. Nesse dia todos os anjos desceram à Terra para levar o anjo guardião transformado em menino, exatamente no mesmo lugar onde a Solange havia nascido. 
Entretanto, para encontrá-la, deveria executar várias tarefas. Fato que não era diferente para a garota.
Assim, os dois cresceram em lugares que permitiam um futuro encontro, viveram diferentes histórias, conheceram pessoas e experimentaram diferentes sentimentos. 
E para que merecessem estar um com o outro, a aprendizagem não deveria se restringir apenas às questões pessoais, mas deveriam espalhar ensinamentos àqueles que os rodeavam. Até que um dia se encontraram, enfrentaram problemas, se amaram e constituíram uma família, a qual teve frutos que carregarão toda a bagagem de Luz e Amor do casal.